Home · Baú do Jordão · Camargo Freire  · Campos do Jordão

Crônicas e Contos · Culinária  ·  Fotos Atuais · Fotos da Semana

  Fotografias · Hinos · Homenagens · Papéis de Parede · Poesias/Poemas 

PPS - Power Point · Quem Sou  · Símbolos Nacionais · Vídeos · Contato

Fotografias que contam a história de Campos do Jordão.

 

 Copa do Mundo 1962 - Estágio de Campeões


 

Há cinquenta anos - Meio século.

A população jordanense e todos que vieram visitar Campos do Jordão, no período de 22 de março a 15 de abril de 1962, puderam acompanhar e ver de perto a seleção brasileira de futebol, campeã do mundo em 1958, durante a fase de concentração e treinamento para a Copa do Mundo de 1962, a ser realizada na cidade de Santiago no Chile. Todos puderam viver momentos de desconcentração junto aos ídolos da seleção canarinho do Brasil. Todos, indistintamente, podiam assistir sem qualquer restrição, a programação completa da seleção, podendo transitar livremente entre os jogadores, tirar fotos ou pedir os famosos autógrafos.

ESTÁGIO DE CAMPEÕES - CAMPOS DO JORDÃO-SP. - PERÍODO: 22/MARÇO A 05 DE ABRIL DE 1962.

- FINALIDADE: PREPARATIVOS PARA A COPA DO MUNDO DE FUTEBOL DE 1962, A SER REALIZADA EM SANTIAGO DO CHILE, NO PERÍODO DE 30/MAIO A 17/JUNHO DE 1962.

Como diria magistralmente o grande radialista e locutor esportivo de fama nacional, Fiori Giglioti (Barra Bonita-27/09/1928 / São Paulo-08/06/2006): “ABREM-SE AS CORTINAS E COMEÇA O ESPETÁCULO”.

Realmente, para Campos do Jordão, para os jordanenses e pessoas que visitaram a cidade durante esse período em que a Seleção Brasileira de Futebol aqui esteve concentrada, preparando-se para disputar a Copa do Mundo de 1962, foi um verdadeiro espetáculo que jamais poderá ficar esquecido.

Foi “A maior promoção jamais realizada em Campos do Jordão”. Essa era uma das frases contidas em diversos cartazes afixados em alguns locais especiais da cidade.

Os jogadores convocados pela Seleção Brasileira de Futebol no ano de 1962, deveriam participar de treinamento inicial, na cidade de Campos do Jordão-SP.. Uma das finalidades desse treinamento era definir a equipe titular da Seleção, para participar da Copa do Mundo, no período de 30 de maio a 17 de junho, na cidade de Santiago, no Chile, na disputa da cobiçada “Taça Jules Rimet”. No Chile a seleção ficaria sediada na Cidade de Viña Del Mar.

Os jogadores, acompanhados dos dirigentes, liderados pelo marechal da vitória Dr. Paulo Machado de Carvalho, médicos, dentista, sapateiro, técnico, preparador físico, massagistas, roupeiro e outros, primeiramente, a convite do então, laborioso e dedicado Prefeito Municipal, o médico Dr. José Antonio Padovan, ficaram sediados na Cidade de Campos do Jordão, pelo período de 15 dias, de 22 de março a 05 de abril de 1962. Todos ficaram hospedados nas dependências do maravilhoso, primoroso e fantástico Hotel Vila Inglesa. Dos jogadores convocados para a primeira fase dos treinamentos e exames clínicos, num total de 41 (quarenta e um), 20 (vinte) eram paulistas, 20 (vinte) cariocas e 01 (um) gaúcho.

Essa concentração da Seleção Brasileira de Futebol em Campos do Jordão, na época, com grande propriedade, foi chamada e batizada de “ESTÁGIO DE CAMPEÕES”, pelo nosso querido e saudoso amigo Plínio Freire de Sá Campello, homem ligado à propaganda em geral, que dedicou grande parte de sua vida na divulgação das belezas e atrativos da nossa querida “Campos do Jordão, a 1700 metros acima das preocupações”, frase, também, da sua autoria e amplamente usada, até hoje.

Na “Montanha Magnífica”, cognome, também muito utilizado pelo Campello, para divulgar os Campos do Jordão, os convocados para o “Estágio de Campeões” chegaram na cidade serrana no dia 22 de março de 1962. O desembarque dos primeiros jogadores e dirigentes ocorreu no período da tarde, por volta das 15:00 horas, em frente ao DMTUR –Departamento Municipal de Turismo, então sediado onde hoje está a Telefônica, na Praça Marcos Damas Caldeira, ao lado da Estação de Vila Abernéssia, da Estrada de Ferro Campos do Jordão. Os jogadores e dirigentes foram recepcionados pelo prefeito municipal Dr. José Antonio Padovan; pelo presidente da Câmara Municipal, engenheiro Fausi Paulo; pelo médico e vereador Dr. Fausto Bueno de Arruda Camargo; pelo Diretor de Turismo da Prefeitura Municipal, vereador Joaquim Corrêa Cintra, vereadores, autoridades diversas, estudantes e pelo povo de Campos do Jordão.

A partir da gloriosa e festejada chegada da seleção brasileira de futebol, a população jordanense e todos que vieram visitar Campos do Jordão, no período de 22 de março a 05 de abril de 1962, puderam acompanhar e ver a Seleção, campeã do mundo em 1958, durante a fase de concentração e treinamento. Todos puderam viver momentos de descontração junto aos ídolos da seleção canarinho do Brasil. Todos, indistintamente, podiam assistir sem qualquer restrição, à programação completa da Seleção, podendo transitar livremente entre os jogadores, tirar fotos ou pedir os famosos autógrafos.

Nsse verdadeiro estágio de campeões, realizado na cidade de Campos do Jordão, no Estado de São Paulo, entre os 41 jogadores de futebol convocados, craques famosos e altamente renomados do futebol brasileiro, estavam vários campeões da Copa do Mundo de 1958, realizada na Suécia, onde conquistamos, pela primeira vez, a tão sonhada Taça Jules Rimet. Essa fase preparatória visava definir os vinte e dois jogadores que iriam integrar a nossa seleção brasileira de futebol para ir disputar a Copa do Mundo de 1962, na cidade de Santiago, no Chile.

Os 41 jogadores de futebol convocados para os treinamentos em Campos do Jordão em 1962, foram:

1. AIRTON Ferreira da Silva
2. ALDEMAR dos Santos
3. ALTAIR Gomes de Figueiredo
4. AMARILDO Silveira
5. Antonio Francisco Bueno de PRADO
6. Antonio Wilson Honório – COUTINHO
7. Benedito Leopoldo da Silva – BENÊ
8. Carlos José CASTILHO
9. DJALMA Dias Junior
10. DJALMA SANTOS
11. Édson Arantes do Nascimento – PELÉ
12. Edvaldo Izídio Neto – VAVÁ
13. GERMANO de Sales
14. GYLMAR dos Santos Neves
15. Hideraldo Luiz BELINI
16. IVAN de Freitas
17. JAIR da Costa
18. JAIR Marinho
19. JOEL Martins Fonseca
20. Jorge dos Santos Barbosa - BARBOSINHA
21. José Eli Miranda - ZITO
22. José Ferreira Franco - ZEQUINHA
23. José Macia – PEPE
24. Julio Botelho - JULINHO
25. JURANDIR de Freitas
26. LAÉRCIO José Milani
27. Luiz Carlos Nunes da Silva – CARLINHOS
28. Manoel Francisco dos Santos – GARRINCHA
29. Mário Jorge Lobo ZAGALO
30. MAURO Ramos de Oliveira
31. MENGALVIO Figueiró
32. NEY Oliveira
33. Nilton DE SORDI
34. NILTON SANTOS
35. Raul Donazar CALVET
36. RILDO da Costa Menezes
37. Sidney Cunha – CHINEZINHO
38. VALDIR de Moraes
39. Valdir Pereira – DIDI
40. Waldir Cardoso Lebrêgo, o QUARENTINHA
41. ZÓZIMO Alves Calazans

A comissão técnica da Seleção Brasileira de Futebol que veio para Campos do Jordão em 1962, acompanhando os jogadores convocados para a fase inicial dos treinamentos era praticamente a mesma da Copa do Mundo do ano de 1958, realizada na Suécia, quando o Brasil se sagrou campeão mundial de futebol. Na chefia da delegação voltou o Dr. Paulo Machado de Carvalho, o marechal da vitória; Carlos Nascimento voltou como supervisor; como médico veio Hilton Gosling; como preparador físico Paulo Amaral; como dentista Mário Trigo. Todos esses foram campeões da Copa do Mundo da Suécia em 1958.

Duas mudanças aconteceram. Uma mudança foi no cargo de técnico: saiu Vicente Feola, que sofria de nefrite aguda e problemas cardíacos, entrou Aymoré Moreira. É importante registrar que, mesmo havendo a substituição do técnico, Vicente Feola acompanhou boa parte dos treinamentos em Campos do Jordão.

A outra mudança foi a saída do psicólogo João Cavalhares, por dois motivos: medo de avião e visível instabilidade emocional na Copa da Suécia Seu substituto sendo foi o jovem professor Ataíde Ribeiro, não apegado a teorias, preferindo aceitar o imponderável futebol.

Assim ficaram constituídas as comissões:

Delegação: Comissão Técnica:
Administrador: José de Almeida;
Chefe da Delegação: Paulo Machado de Carvalho, o Marechal da vitória;
Cozinheiro e sapateiro: Aristides Pereira;
Olheiro: Ernesto dos Santos;
Preparador Físico: Paulo Amaral;
Roupeiro: Francisco de Assis;
Secretário: Adolfo Marques;
Supervisor: Carlos Nascimento;
Superintendente: Mozart Machado;
Tesoureiro: Ronald Vaz Moreira; Treinador: Aymoré Moreira.

Comissão Médica:
Dentista: Mário Trigo;
Massoterapeuta: Mário Américo;
Médico: Hilton Gosling;
Psicólogo: Ataíde Ribeiro.

Outros: Delegados: Abílio Ferreira, António do Passo, Luiz Murgel e Paulo Costa.
Convidados de Honra: João de Paiva e João Mendonça.
Jornalista Oficial (O Globo):Ricardo Serra.

Importante registrar que, durante esse período de treinamento em Campos do Jordão, estiveram presentes: O grande e importante VICENTE ÍTALO FEOLA, Técnico da Seleção Brasileira de Futebol, responsável pela conquista da Copa do Mundo de 1958 na Suécia; o magistral radialista e locutor esportivo de fama nacional, FIORI GIGLIOTI e LEÔNIDAS DA SILVA, o grande craque do futebol, conhecido como o “Diamante Negro”, inventor da “bicicleta” do futebol, em sua nova atividade de comentarista esportivo, considerado por muitos, como comentarista direto, duro e polêmico.

Em Campos do Jordão, durante os três primeiros dias, os jogadores convocados para a fase de treinamentos, por determinação do Dr. Hilton Gosling, médico da seleção brasileira de futebol, foram submetidos aos exames médicos de rotina e, quase todos, estavam em condições físicas favoráveis. Fizeram parte da equipe médica responsável pela avaliação física, além do Dr. Hilton Gosling, e dos médicos, Donato Oliveira, Sergio Moncorvo e Anielo Montuore, mais cinco médicos.

Uma das primeiras atividades reservadas para os craques da seleção brasileira de futebol, de caráter recreativo, contando com a presença de todos convocados, dentro de um clima de absoluta camaradagem, foi um belo passeio pelos bosques e caminhos tranqüilos e aconchegantes situados nos arredores do Hotel Vila Inglesa, acompanhados do preparador físico Paulo Amaral.

A locomoção dos jogadores e dirigentes da delegação brasileira, entre o Hotel Vila Inglesa e o Estádio Municipal de Campos do Jordão, futuramente e posteriormente, denominado Estádio Municipal Benedito Vaz Dias, onde foram realizadas diversas etapas do treinamento programado, foi realizada em ônibus especial, colocado à disposição pela direção do Hotel Vila Inglesa. Essa providência atendeu solicitação do administrador da seleção brasileira, Sr. José de Almeida, considerando a necessidade de, no mínimo, duas visitas diárias à cidade, com percurso de 16 quilômetros entre ida e volta.

Ficou registrado na história que, Campos do Jordão deu verdadeira demonstração de hospitalidade, nada deixando faltar aos jogadores integrantes da seleção brasileira de futebol, que para cá vieram participar dos treinamentos, durante esse Estágio de Campeões. O Jornal A Gazeta Esportiva - 23/03/1962 - registrou em sua página 12, “Independente das suas estupendas condições climatéricas, ressalte-se a simpatia e amabilidade da sua gente. Efetivamente, todos os componentes do nosso selecionado estão vivendo instantes tranqüilizadores, amenos. Naturalmente, a presença da elite do futebol, despertou a mais viva impressão, com o povo recebendo a todos de braços abertos. A Prefeitura, por sua vez, solicitou dois treinos, como verdadeiro prêmio à população”.

A seleção brasileira de futebol concentrada em Campos do Jordão em 1962, na fase preparatória para os jogos do VII Campeonato Mundial de Futebol, treinou diariamente, de manhã e à tarde, de segunda a domingo, ativando a movimentação de todos profissionais, especialmente quando da utilização de bola. Praticamente tudo correu como previamente programado. No período da manhã, por exemplo, foram treinados os jogadores da defesa e à tarde, os jogadores do ataque e os goleiros.

Além das atividades programadas para o treinamento específico do futebol, outras atividades esportivas foram programadas pelos dirigentes da seleção brasileira, visando quebrar a solidão dos jogadores, mantendo-os em excelentes condições atléticas. Assim, foram incluídos na programação, torneios de voleibol, snooker e tênis de mesa, realizados nas dependências do Hotel Vila Inglesa.

No dia 25/03/1962 os cronistas de São Paulo e Rio de Janeiro que estiveram em Campos do Jordão fazendo a cobertura dos treinamentos da seleção brasileira de futebol, se enfrentaram no Estádio Municipal, em partida amistosa, com arrecadação em favor da Campanha Contra o Câncer. Foi uma partida muito divertida, dirigida por três árbitros, proporcionando bons momentos de boa descontração e diversão para todos que a ela puderam assistir. O último árbitro prorrogou o tempo da partida e quase matou de cansaço os jogadores dos dois times. Essa partida terminou com o placar de um a um, sendo que os paulistas tiveram um gol anulado e perderam uma penalidade máxima.

Na época desses treinos da seleção brasileira de futebol, no ano de 1962, o dinâmico Prefeito Municipal Dr. José Antonio Padovan, sem medir esforços, lutando com as forças disponíveis, desconhecendo sacrifícios, pleiteou e conseguiu trazer para Campos do Jordão, a nossa seleção para um período especial de preparação para o Campeonato Mundial de Futebol de 1962. De acordo com previsão realizada na época, Campos do Jordão previa gastar mais de um milhão de cruzeiros, esperando arrecadar, já no primeiro treino coletivo, a renda recorde de 600 mil cruzeiros.

No dia 28 de março de 1962, os jogadores da seleção brasileira de futebol, concentrados em Campos do Jordão, primeiramente, foram submetidos por Paulo Amaral, a exercícios físicos com duração de 20 minutos. Na sequência, foram submetidos a treinamento coletivo intenso, mais diretamente ligado com a bola. Do total dos 41 jogadores convocados, participaram desse treinamento, 16 jogadores, divididos em duas equipes: azul e amarela. Deixaram de participar desse treinamento, em virtude de estarem submetidos aos exames médicos: De Sordi, Belini, Gilmar, Nilton Santos, Zequinha, Jair Marinho, Ney e Djalma Santos.

Foram realizados 50 minutos de treinos com dois toques e 20 minutos de treinamento individual. A equipe que utilizou a camisa amarela venceu a equipe de camisa azul, por 9 a 5, marcando para os vencedores: Castilho, Quarentinha, Mauro e Calvet com dois gols cada um e Djalma com um gol. Para o time vencido, de camisa azul, marcaram: Aldemar dois gols e Ivan, Zózimo e Laércio com um gol cada. Esse treinamento contou com a assistência de grande público. As bilheterias arrecadaram 16 mil cruzeiros, totalmente revertidos em favor dos Sanatorinhos.

O Jornal “A Gazeta Esportiva” do dia 29 de março de 1962, publicou em sua página 12, as seguintes manchetes da autoria de Solange Bibas, enviado especial: “Vereadores ‘jordanenses’ unânimes: Campos do Jordão orgulha-se em hospedar os campeões do mundo” ; “ ‘Nota 10’ para a bela Campos do Jordão - Uma cidade que é um encanto e que não poderia ser melhor para iniciar recuperação e treinamento - 1.700 mts. acima e hotel maravilhoso - Tudo de acordo com o que se poderia esperar.”

Ainda, nessa mesma edição do Jornal “A Gazeta Esportiva”, é importante destacar o seguinte tópico: “O Estádio - O estádio é pequeno e possui apenas arquibancadas no centro, construídas de madeira. Mas é bem arrumado, bem plantado, com cerca pintada de azul e branco e uma pista de atletismo. O gramado é bom, havendo nos fundos, à direita das sociais, uma quadra de bola ao cesto. Enfim, até que poderemos dizer que o estádio é um brinco, tão bem tratado e arrumado se apresenta.”

No dia 30 de março de 1962, a seleção brasileira de futebol, concentrada em Campos do Jordão, dirigida por Paulo Amaral, gradativamente acelerando a preparação física dos jogadores, submeteu-os novamnete a rigoroso treinamento individual, durante 35 minutos. Na seqüência, por determinação do técnico Aymoré Moreira, durante 50 minutos, foram submetidos a um treinamento de dois toques. Nesse treinamento, a equipe amarela venceu mais uma vez, por 2 a 0, a equipe azul.

Primeiro treinamento em conjunto - No dia 1º de abril de 1962, concentrada em Campos do Jordão, a seleção brasileira de futebol, durante a fase preparatória para os jogos do VII Campeonato Mundial de Futebol, a ser realizado no período de 30 de maio a 17 de junho, em Santiago, no Chile, em disputa da “Taça Jules Rimet”, participou no Estádio Municipal, do primeiro treinamento em conjunto. “Brasil (com chuva e tudo) empolgou Campos do Jordão (Jornal “A Gazeta Esportiva” - dia 02 de abril de 1962 - página 3 - do enviado especial Solange Bibas).

No dia 1º de abril de 1962, o Sol não apareceu no período da manhã. O tempo estava mais para chuva que para o sol. A temperatura caiu bastante. No período da tarde, trovoadas e relâmpagos recepcionaram os jogadores e grande público presente. A primeira fase do treinamento foi constantemente ameaçada pela chuva. Na segunda fase, por volta das 16 horas, uma forte e copiosa chuva caiu sobre os jogadores e sobre o público, pois o Estádio Municipal não dispunha de arquibancada coberta.

Mesmo com a preocupação sobre as condições do tempo, o treino coletivo foi iniciado precisamente às 15 horas e dele participaram as duas equipes tradicionais: amarela e azul.

A equipe amarela foi inicialmente formada por Gilmar, De Sordi, Airton e Altair; Calvet e Zito; Jair, Didi, Prado, Pelé e Zagalo. Na segunda fase do treinamento foi formada por Valdir, Joel, Mauro e Zózimo; Altair e Zito (Zequinha); Jair, Benê, Pelé, Chinezinho e Germano.

A equipe azul foi inicialmente formada por Laércio, Jair Marinho, Belini, e Rildo; Aldemar e Zequinha; Garrincha, Mengalvio, Vavá, Amarildo e Pepe. Na segunda fase do treinamento foi formada por Laércio, Djalma Santos, Djalma Dias e Nilton Santos; Carlinhos e Barbosinha; Garrincha, Mengalvio, Vavá, Amarildo e Pepe.

Nessa oportunidade a equipe azul conseguiu sair vitoriosa com 3 gols, contra 2 gols da equipe amarela. Os gols foram marcados por: Didi e Zito para a equipe amarela. Para a equipe azul os gols foram marcados por: De Sordi (gol contra), desviando a bola chutada por Pepe, Pepe e Amarildo.

O Coletivo foi um sucesso de público e até de arrecadação. Os altos preços dos ingressos não assustou o público que compareceu em grande número, ocupando todas dependências do Estádio Municipal, inclusive, todos os morros próximos que possibilitavam visão do campo de futebol. A arrecadação ultrapassou a quantia de um milhão de cruzeiros, totalizando CR$ 1.179.100,00 (hum milhão cento e setenta e nove mil e cem cruzeiros). Foram vendidas a preços unitários: 987 cadeiras de pistas a Cr$ 500,00; 583 cadeiras numeradas a Cr$ 400,00; 4.186 gerais a Cr$ 100,00 e 696 meias-entradas a Cr$ 50,00, totalizando 6.452 pessoas pagantes.

Primeiro treino coletivo: No dia 04 de abril de 1962 a Seleção Brasileira de Futebol, concentrada em Campos do Jordão, durante a fase preparatória para os jogos do VII Campeonato Mundial de Futebol, a ser realizado no período de 30 de maio a 17 de junho, em Santiago, no Chile, em disputa da “Taça Jules Rimet”, participou, no Estádio Municipal, hoje Estádio Municipal Bendito Vaz Dias, do primeiro treino coletivo.

O Jornal “A Gazeta Esportiva” do dia 04 de abril de 1962 publicou em sua página 10, reportagem de Solange Bibas, enviado especial: “Alto Comando” foi ver um jogo de cronistas.... Como “aperitivo” (só que foi um “aperitivo” bem azedo) do primeiro treino coletivo dos brasileiros, a turma dos cronistas (de São Paulo e Rio), que aqui se encontram fazendo a cobertura do selecionado nacional, resolveu (e que parada errada foi a deles, pois apanharam por 5 x 2) enfrentar a turma de médicos de Campos do Jordão, turma que contou, inclusive, com o “reforço” do sr. Prefeito Municipal, isto para não falar no “enxerto” do presidente da Câmara Municipal, o qual é engenheiro e não médico. O jogo se realizou e foi presenciado por um público bem seleto, entre o qual, além dos craques brasileiros (que se divertiram a valer), se notavam os srs. João Havelange, Paulo Machado de Carvalho, Carlos Nascimento, José de Almeida e Aimoré Moreira”.

OBS: O médico e prefeito municipal e o engenheiro, presidente da Câmara Municipal mencionados eram, respectivamente: o Dr. José Antonio Padovan e o Dr. Fausi Paulo (01.01.1961 a 31/12/1962) .

O Jornal “A Gazeta Esportiva” do dia 05 de abril de 1962 publicou em sua primeira página - Campos do Jordão - De Solange Bibas, enviado especial: “Amarelos” golearam “azuis”: 4 x 0 - Melhorou o rendimento da seleção brasileira no segundo coletivo.

A equipe amarela foi inicialmente formada por Valdir, Jair Marinho, Djalma Dias (Mauro) e Nilton Santos; Zequinha e Jurandir; Jair, Mengalvio, Quarentinha, Pelé e Pepe. Na segunda fase do treinamento foi formada por Valdir, Joel, Mauro e Rildo; Carlinhos, e Barbozinha; Garrincha, Mengalvio, Pelé, Amarildo e Germano.

A equipe azul foi inicialmente formada por Laércio,Djalma Santos, Airton e Ivan; Carlinhos e Zózimo; Garrincha, Didi, Prado, Amarildo e Zagalo. Na segunda fase do treinamento foi formada p or Laércio, De Sordi, Airton e Ivan (Altair); Jurandir (Calvet) e Zequinha; Jair, Didi, Vavá, Quarentinha e Pepe.

Nessa oportunidade, novamente, a equipe amarela conseguiu sair vitoriosa, goleando a azul com 4 gols. Os gols foram marcados por: Pelé, Quarentinha (contra), desviando a bola chutada por Pepe, Amarildo e Pelé marcando penalidade máxima.

O público que compareceu ao Estádio Municipal foi pequeno em relação ao primeiro treinamento conjunto realizado no domingo dia 01/04/1962. Talvez pelo fato desse treino ter sido realizado em dia de semana, de trabalho normal, evitou o comparecimento, tanto do jordanense como do público que poderia ter vindo de outras localidades foi menor. A renda, mesmo considerando que os valores dos ingressos foram reduzidos, ficou em CR$ 246.000,00.

Finalizando este histórico sobre o “Estágio de Campeões”, realizado pela Seleção brasileira de Futebol, na cidade de Campos do Jordão-SP., no período de 22 de março a 05 de abril de 1962, visando treinamentos preliminares para a definição dos 22 jogadores que seguiriam para a cidade de Viña Del Mar, para participar disputar, na cidade de Santiago, a Taça Jules Rimet, da Copa do Mundo de 1962, é importante para nós, jordanenses, registrar o que Solange Bibas, enviado especial do Jornal “A Gazeta Esportiva”, registrou na página 12, da edição nº 11.351, do dia 04/junho/1962:

“Muito obrigado, Campos do Jordão ! - Estamos prestes a deixar esta maravilhosa cidade de Campos do Jordão, após 16 dias de trabalho constante, de quase não parar5, procurando acompanhar aqueles que foram os primeiros passos do selecionado do Brasil. E, muito do que possível realizar, sinceramente, devemos à amizade, ao espírito de cooperação, à camaradagem enfim, do próprio jordanense. Citaremos as figuras de José Padovan, prefeito municipal, de Fausi Paulo, presidente da Câmara, dos vereadores Joaquim Corrêa Cintra e José Marques, como grandes amigos,q que ao repórter tudo procuraram facilitar. Mas não esquecemos do Miguel Lopes Pina, que também não faltou com seu apoio, quando este se tornou necessário. Enfim, uma turma boa, amiga, à qual juntaremos os nomes de José Schäfer, gerente do Hotel “Vila Inglesa”, um grande tipo sem dúvida, Alfredo e Marcos, da Companhia Telefônica, o Orlando Nunes, da portaria do hotel. E, além desses, o velho amigo Manuel Luiz Ferreira, do Foro “Abernéssia”, que nunca negou a sua colaboração ao repórter e, acima de tudo, ao nosso jornal. A cidade de Campos do Jordão, repetimos o que dissemos e escrevemos anteriormente, não poderia ser melhor escolhida para o início da preparação dos brasileiros. Porque ela se assemelha , em clima e até aquele detalhe do sol “morrer” atrás de uma das metas do estádio, à cidade chilena de Viña Del Mar. Ademais, realmente, nada faltou aos craques, além do carinho dom próprio povo, além da amizade desinteressada de cada torcedor. Isso tudo foi muito importante e o Brasil, ganhe ou não a Taça do Mundo (e fazemos votos para a repetição da glória da Suécia), não poderia ter iniciado melhor. A GAZETA ESPORTIVA agradece as grandes atenções recebidas em Campos do Jordão e o repórter, autor destas linhas, espera um dia voltar, para um novo e grande abraço, a Capivari, Emílio Ribas, Abernéssia e “Vila Inglesa”. A todos da maravilhosa Campos do Jordão, o nosso muito obrigado !”

Depois da fase de treinamentos iniciais e preparatórios para a Copa do Mundo de 1962, realizada na cidade de Campos do Jordão e, posteriormente na cidade de Serra Negra, foram definidos os 22 (vinte e dois) jogadores que seguiram para a cidade de Viña Del Mar para disputarem na cidade de Santiago, no Chile, a Taça Jules Rimet. No glorioso dia 17 de junho de 1962, nossa Seleção Brasileira de Futebol, sagrou-se BICAMPEÃ MUNDIAL DE FUTEBOL.

A Seleção Brasileira de Futebol foi então composta por estes jogadores:

Goleiros: Gilmar (Santos) e Castilho (Fluminense).
Laterais: Djalma Santos (Palmeiras), Nílton Santos (Botafogo), Jair Marinho (Fluminense) e Altair (Fluminense).
Zagueiros: Mauro (Santos), Bellini (São Paulo), Zózimo (Bangu) e Jurandir (São Paulo).
Meio-campistas: Zito (Santos), Didi (Botafogo), Zequinha (Palmeiras), Mengálvio (Santos).
Atacantes: Garrincha (Botafogo), Zagallo (Botafogo), Vavá (Palmeiras), Pelé (Santos), Jair da Costa (Portuguesa de Desportos), Coutinho (Santos), Amarildo (Botafogo) e Pepe (Santos).

Definidos os 22 jogadores, Aymoré Moreira pode, enfim, trabalhar com mais tranqüilidade e escolher o time-base, cuja referência seria a equipe vencedora de 1958. Nos treinamentos, foram dadas chances a todos os convocados. Três mudanças indiscutíveis não poderiam deixar de acontecer: Zózimo entrando no lugar de Orlando, Pepe no de Zagallo e Mauro no de Bellini. Nosso técnico pensava, anotava e esperava decidir tudo em Viña Del Mar.

A Copa do Mundo FIFA de 1962, foi a 7ª edição e foi disputada no Chile, tendo seus jogos realizados em Santiago, Arica, Rancagua e Viña Del Mar, entre 30 de maio e 17 de junho. Essa edição da Copa do Mundo de Futebol contou com as seleções dos seguintes países, além do Chile: Alemanha Ocidental, Argentina, Brasil, Bulgária, Checoslováquia, Colômbia, Espanha, Hungria, Inglaterra, Itália, Iugoslávia, México, Suíça, União Soviética e Uruguai.

A grande campeã desta copa foi a Seleção Brasileira de Futebol que, como campeã da Copa anterior de 1958, não havia participado das eliminatórias pois já tinha vaga garantida

Muitos dizem que esta foi a "Copa de Garrincha", considerados por alguns como o melhor jogador da Copa e um dos principais responsáveis pela conquista brasileira.

A final da Copa do Mundo FIFA de 1962 foi disputada entre Brasil, que havia eliminado o Chile e a Inglaterra, e Tchecoslováquia, que havia eliminado a Iugoslávia e a Hungria.

A partida final foi realizada no dia 17 de junho às 14h30min, no Estádio Nacional do Chile, com um público estimado em 68 679 pessoas. Sob o apito do árbitro soviético Nikolay Latyshev, Josef Masopust abriu o placar aos 15 minutos, porém, 2 minutos depois, Amarildo empatou o jogo. E o primeiro tempo terminou no 1 a 1. Aos 24 minutos do segundo tempo, Zito vira o jogo para a equipe brasileira e Vavá, 9 minutos depois, amplia a diferença, fechando o placar em 3 x 1. O capitão Mauro Ramos de Oliveira ergueu a taça Jules Rimet e o segundo título do Brasil com Copas do Mundo.

Edmundo Ferreira da Rocha
02 de junho de 2012.

 

 

Voltar

 

 


Fotos Diversas-Copa 1962


Fotos Gazeta - Copa 1962

 


ATENÇÃO – AVISO

 

- As fotografias exibidas neste site, com exceção daquelas de minha própria autoria, especialmente as fotos em cores, são de fotógrafos desconhecidos e não identificados.

 

- Esforços despendidos e diversas pesquisas realizadas, com pessoas antigas da cidade, especialmente com as possuidoras das fotos, não foram suficientes para identificar os autores dessas fotos antigas, considerando que  a maioria delas, data de mais de setenta anos.

 

- Se alguém tiver alguma informação segura sobre os nomes dos fotógrafos autores dessas imagens ou se sentir lesado ou, ainda, não concordar com a publicação de qualquer conteúdo constante do website, por favor, entrem em contato conosco clicando aqui, para que possamos estar divulgando os créditos das autorias ou providenciando a imediata retirada.

 

Obrigado,

 

Edmundo Ferreira da Rocha

 

- Campos do Jordão Cultura -