Home · Baú do Jordão · Camargo Freire  · Campos do Jordão

Crônicas e Contos · Culinária  ·  Fotos Atuais · Fotos da Semana

  Fotografias · Hinos · Homenagens · Papéis de Parede · Poesias/Poemas 

PPS - Power Point · Quem Sou  · Símbolos Nacionais · Vídeos · Contato

 

Fotografias Semanais que contam a
 história de Campos do Jordão.

de 25/08 a 30/08/2017

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto o prédio próprio e sede da COPEL - Construções, Projetos e Engenharia, nessa época, já não era mais Limitada e sim S/A., localizada na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da Igreja de São Benedito em Vila Capivari.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto dados constantes do papel timbrado, utilizado pela COPEL S/A., para correspondências, relatórios, requerimentos etc..

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto um encontro entre os dirigentes da COPEL com os proprietário de área de terras localizada no Loteamento Atalaia, proximidades do Grande Hotel de Campos do Jordão que, na época, pretendiam construir nesse local um Condomínio/Edifício de apartamentos que, infelizmente, não prosperou. Na foto uma das tradicionais placas utilizadas pela COPEL

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto amigos e pessoas ligadas à COPEL, durante o encontro entre os dirigentes da Empresa com os proprietário de área de terras localizada no Loteamento Atalaia, proximidades do Grande Hotel de Campos do Jordão que, na época, pretendiam construir nesse local um Condomínio/Edifício de apartamentos que, infelizmente, não prosperou.

Na foto, da esquerda para a direita: Toninho, filho do Sr. Benedito, mais conhecido com Dito Pituca, um dos experientes Mestres de Obra da COPEL, os irmãos Brahim Dib, não identificado, João Geraldo de Oliveira, Contador e responsável pela Contabilidade da COPEL, Olimpio Muller e o Zolmo Barreto de Borba, o conhecido Pierre, grande animador de festividades com seu órgão eletrônico.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Foto do encontro entre os dirigentes da COPEL com os proprietário de área de terras localizada no Loteamento Atalaia, proximidades do Grande Hotel de Campos do Jordão que, na época, pretendiam construir nesse local um Condomínio/Edifício de apartamentos que, infelizmente, não prosperou. Na foto uma das tradicionais placas utilizadas pela COPEL

Na foto, da esquerda para a direita: O Frei João Teodoro Klaphech - OFM - Ordem dos Frades Menores, conhecido na época, com seu nome religioso de Frei Segismundo, Vigário da Igreja de São Benedito de Vila Capivari que, na oportunidade, foi abençoar o encontro. Na seqüência o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza, pertencente à COPEL e o Engenheiro responsável pelas obras da COPEL, acredito que o casal, representantes ou proprietários do Condomínio Atalaia, ao lado o Dr. Marcos Wulf Siegel um dos proprietários da COPEL e atrás o Professor Harly Trench, também, um dos proprietários da COPEL.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, o engenheiro Dr. Marcos Wulf Siegel, principal proprietário da COPEL.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, o Professor Harly Trench, um dos proprietários da COPEL.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza, Professor, um dos proprietários da COPEL e Engenheiro Responsável pelas obras e construções da Empresa.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, o Contador João Geraldo de Oliveira, responsável pela contabilidade da Empresa COPEL S/A..

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, Orestes Mário Donato, na época, o Projetista responsável por todos projetos da COPEL S/A.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, Waldemar Ferreira da Rocha, na época, um dos principais Mestres de Obras da COPEL S/A.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

 

Históricas - COPEL - Década 1950


Na foto, o Frei João Teodoro Klaphech - OFM - Ordem dos Frades Menores, conhecido na época, com seu nome religioso de Frei Segismundo, Vigário da Igreja de São Benedito de Vila Capivari que, na oportunidade, foi abençoar o encontro da COPEL S/A. com os representantes do Condomínio Atalaia.

Um pouco da história da COPEL:

A Empresa COPEL surgiu após a Empresa Cadij, constituída com os ramos de Imobiliária e Construtora, de propriedade do saudoso Antonio Leite Marques, o Toninho, ter resolvido separar as duas atividades, ficando somente com a parte da Imobiliária. O Dr. Marcos Wulf Siegel que havia chegado em Campos do Jordão no ano de 1953, já como associado da CADIJ, com a separação das atividades, resolveu assumir a parte da Construtora e assim, em 1954, fundou uma Construtora. Essa Construtora passou a ser denominada pelo nome da autoria de Orestes Mário Donato, COPEL, abreviatura de Construções, Projetos e Engenharia Limitada. O Engenheiro responsável pela COPEL era o Dr. José Ariosto Barbosa de Souza. Também fazia parte da administração o Professor Harly Trench. Orestes Mário Donato que, além das suas muitas outras habilidades, era especialista em projetos e desenhos, foi contratado para ser o projetista da COPEL.

A COPEL como construtora, inicialmente, esteve estabelecida nas salas da frente da casa alugada por meu pai, situada na Av. Emílio Ribas, 908, ali no bairro do Capivari, nas proximidades do atual Hotel JB e do Posto Esso, já existente na época. A casa onde se estabeleceu na época da sua fundação, era de propriedade do saudoso amigo Adauto Camargo Neves.

Após dois anos de atividade o Engenheiro Fausi Paulo, recém formado, se juntou à Construtora e nela permaneceu pelo período de um ano.

Inicialmente, o Mestre de Obras da COPEL foi o Sr. Benedito, mais conhecido como Dito Pituca. Posteriormente, graças à intervenção do amigo Donato, também trabalhou como Mestre de Obras da COPEL, meu pai Waldemar Ferreira da Rocha, que ficou na Construtora até seu final.

Moramos nesse local, meus pais, eu e também o Donato, por uns dois anos. A COPEL também esteve estabelecida no local pelo mesmo tempo. Depois tivemos de mudar. O Sr. Adauto, proprietário da casa, estava voltando para Campos do Jordão e necessitava dela para morar.

Meu pai, mais uma vez, alugou uma casa enorme, de propriedade do Sr. Adelardo Soares Caiuby, situada na Avenida Macedo Soares, 306, em frente ao Hotel Bologna que, na época, era de propriedade do Sr. Augusto Pagliacci e sua esposa D. Alba. Mais uma vez, o seu Orestes foi morar conosco nessa nova casa e, também, a COPEL acabou se estabelecendo no local, ficando com o enorme salão existente na frente da casa e mais outros dois quartos enormes que foram transformados em salas de trabalho.

Nesse novo endereço, agora mais no centro de Vila Capivari, a COPEL teve um avanço muito grande. A quantidade de construções aumentou muito e assim o serviço para todos que nela trabalhavam. Meu pai recebia um bom salário mensal que ajudava muito em todas as despesas com a casa e família. Impossível deixar de reafirmar que, tudo isso, graças à boa amizade e intervenção favorável e oportuna do seu Orestes que, nessa época, já era mais conhecido por todos como Donato.

Donato sempre foi uma pessoa de forte personalidade. Tinha seus pontos de vista sobre muitas coisas e situações e não abria mão disso. Em muitas oportunidades, tanto ele com meu pai ou comigo, acabamos discutindo seriamente à moda italiana e lusitana, porém nunca chegamos a guardar o mínimo rancor, e essas oportunidades nunca foram tão fortes para alterar ou mudar o nosso relacionamento que sempre foi muito bom.

Nessa casa, como o quarto do Donato era enorme, ele montou em um dos cantos um estúdio fotográfico completo. Donato sempre foi um excelente fotógrafo. Sabia tudo sobre fotografia. Tirava as fotos, revelava os filmes, fazia as cópias e ampliações, recortes e montagens fotográficas etc. Eu, sempre junto, aprendi muito sobre fotografia. Já sabia quase todos os passos seguidos pelo Donato nessa arte. Foi a partir dessa oportunidade que passei a me interessar por fotografia, habilidade que tem sido muito útil em toda a minha vida, responsável pelo meu enorme acervo fotográfico e histórico de Campos do Jordão.

Posteriormente a COPEL mudou-se e passou ocupar sua sede própria especialmente construída na Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, proximidades da igreja de São Benedito, bem no centrinho de Vila Capivari.

A Copel ficou estabelecida pelo período de 14 anos. Na sede própria da Rua Engenheiro Diogo de Carvalho, em Vila Capivari, contava com uma Loja de Materiais para Construção, representando, dentre outras firmas de São Paulo, a Eucatex, a Hydra, etc. Durante o período em que esteve em atividade, a COPEL foi responsável pela construção de 85 obras diversas, dentre casas para turistas, Hotéis, Prédios de Apartamentos, etc..

OBS: Esta foto foi gentilmente disponibilizada pela querida e saudosa amiga Malú Donato e por sua filha Luciana Donato, respectivamente, a esposa e a filha do saudoso amigo Donato.

 

 

Veja fotografias publicadas em outras semanas clicando aqui.

 

Voltar

 

- Campos do Jordão Cultura -